Contribuição ao estudo morfológico da aurícula esquerda do coração de fetos humanos cadavéricos

  • Carolina Chen Pauris
  • Yggor Biloria e Silva
  • Renata Pletsch Assunção
  • Gustavo Tenório Sugano
  • Amilton Iatecola
  • Lilia Cavicchioli Fonseca Iatecola
  • Erivelto Luís Chacon
  • Vinicius Rodrigues Silva
  • Vinicius Barroso Hirota
  • Vinicius Martins Dias Batista
  • Victor Augusto Ramos Fernandes
  • Ronny Rodrigues Correia
  • Marcelo Rodrigues da Cunha
Palavras-chave: Aurícula cardíaca, variação anatômica, morfologia

Resumo

O conhecimento da morfologia auricular torna-se importante durante a avaliação clínica de diferentes patologias cardíacas na área da medicina fetal. Desta maneira, o estudo anatômico e detalhado da aurícula cardíaca esquerda poderá contribuir para o melhor entendimento do funcionamento das câmaras do coração, facilitando a compreensão das possíveis alterações cardíacas presentes nos diagnósticos das cardiopatias fetais. Sendo assim, a pesquisa teve como finalidade o estudo da aurícula cardíaca esquerda para analisar possíveis variações morfológicas em diferentes períodos de desenvolvimento fetal. Para isto, utilizou-se 10 cadáveres de fetos humanos formolizados, pertencentes ao Laboratório de Anatomia Humana do Centro Universitário Padre Anchieta. Para as análises morfológicas, foi observado o formato e a posição da aurícula esquerda conforme os períodos fetais, associando sua topografia com estruturas adjacentes, assim como possíveis variações anatômicas. Para as tomadas métricas do comprimento, largura e distância entre a aurícula esquerda e à direita, foi utilizado um paquímetro de precisão. Quanto ao resultado das análises, a média de medidas obtidas dos fetos entre 13° a 26° semanas gestacionais apresentaram comprimento, largura e distância de 7,41 mm, 6,20 mm e 3,73 mm. As aurículas cardíacas também apresentaram seu formato e morfologia definidos dentro dos períodos fetais estudados. Dessa forma, tornou-se evidente a importância do conhecimento anatômico e suas variações, frente aos diagnósticos e intervenções nos casos de cardiopatias congênitas.

Biografia do Autor

Carolina Chen Pauris

Laboratório de Anatomia Humana, Centro Universitário Padre Anchieta, Jundiaí, São Paulo, Brasil.

Yggor Biloria e Silva

Laboratório de Anatomia Humana, Centro Universitário Padre Anchieta, Jundiaí, São Paulo, Brasil.

Renata Pletsch Assunção

Laboratório de Anatomia Humana, Centro Universitário Padre Anchieta, Jundiaí, São Paulo, Brasil.

Gustavo Tenório Sugano

Faculdade de Medicina de Jundiaí, Jundiaí, São Paulo, Brasil

Amilton Iatecola

Faculdade de Medicina de Jundiaí, Jundiaí, São Paulo, Brasil.

Lilia Cavicchioli Fonseca Iatecola

Faculdade de Medicina de Jundiaí, Jundiaí, São Paulo, Brasil.

Erivelto Luís Chacon

Laboratório de Anatomia Humana, Centro Universitário Padre Anchieta, Jundiaí, São Paulo, Brasil.
Faculdade de Medicina de Jundiaí, Jundiaí, São Paulo, Brasil.

Vinicius Rodrigues Silva

Faculdade de Medicina de Jundiaí, Jundiaí, São Paulo, Brasil.

Vinicius Barroso Hirota

Centro Universitário das Américas (FAM), São Paulo, Brasil

Vinicius Martins Dias Batista

Faculdade de Medicina de Jundiaí, Jundiaí, São Paulo, Brasil.

Victor Augusto Ramos Fernandes

Faculdade de Medicina de Jundiaí, Jundiaí, São Paulo, Brasil

Marcelo Rodrigues da Cunha

Laboratório de Anatomia Humana, Centro Universitário Padre Anchieta, Jundiaí, São Paulo, Brasil.
Faculdade de Medicina de Jundiaí, Jundiaí, São Paulo, Brasil.

Seção
Artigos